Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 19 de dezembro de 2018  


08/10/2018
Mundo olha para o Brasil com horror - Clóvis Rossi

Há relativo consenso de que a democracia corre risco.   Oliver Stuenkel, excelente analista, professor de Relações Internacionais na Fundação Getúlio Vargas, relata, em artigo para Americas Quarterly:

"Em debate em classe, um dos meus alunos notou secamente que os eleitores [brasileiros] teriam que escolher entre o terror e horror", em referência a um eventual segundo turno entre Jair Bolsonaro  e Fernando Haddad.

É esse, basicamente, o tom que marca o olhar externo sobre o pleito brasileiro, pondo ênfase em Bolsonaro quando se trata de falar de terror.

Já não bastasse a Economist ter levado Bolsonaro à capa, faz duas semanas, com o título "A mais recente ameaça à democracia na América Latina", vemLe Monde deste sábado com a manchete de capa: "Extrema direita às portas do poder".

Não preciso dizer que o vespertino francês considera a extrema direita uma ameaça, tanto quanto a Economist.

Rocio Cara Labrador, que cobre América Latina para o Council on Foreign Relations, escreve: "A eleição geral no Brasil será um dos maiores testes para a sua democracia em décadas".

Em artigo para o Projeto Syndicate, Robert Muggah, cofundador do Instituto Igarapé, belo centro de estudos especializado em segurança, prevê que os conservadores brasileiros farão "um pacto do diabo com o demagogo de extrema direita Jair Bolsonaro", do que decorreria "pôr em risco o sistema democrático".

Essa ideia de que a democracia está em risco com a eleição perpassa boa parte das análises externas sobre o pleito brasileiro.

Minha opinião, já manifestada uma e outra vez em colunas anteriores: o risco Bolsonaro já se manifestou, ganhe ou perca a eleição. Quando um terço ou mais dos eleitores se dispõe a votar em um candidato que faz a apologia da tortura, o Brasil retrocede vários passos  na escala civilizatória.

Se a democracia ficará ameaçada, em caso de vitória dele, é questão em aberto. Mas seria um erro eventualmente trágico se os democratas se acomodarem com a pesquisa do Datafolha que mostra recorde de apoio (69%) ao sistema democrático.

O apoio maciço à democracia não deve esconder o fato de que há profunda insatisfação com a maneira como ela está funcionando no Brasil. Numa ponta, há a corrupção tremenda, um vício antigo mas que a Lava Jato trouxe à tona de uma forma estonteante.

Na outra ponta, escreve Roberto Castello Branco, diretor do Centro de Estudos em Crescimento e Desenvolvimento Econômico da FGV, para a revista Inteligência: "O populismo do século 21 acabou por produzir a mais profunda recessão sofrida pela economia brasileira dos últimos 100 anos. A perda de produto real, de 7,2% em 2015-2016, superou a de outras grandes recessões (-3,8% em 1990/1992, -6,3% em 1981-1983 e -5,3% em 1930/1931)". Corolário inevitável: assustadores 13% de desempregados.

Esse cenário de horror será encarado por um presidente politicamente fraco: é inédito que todos os candidatos à Presidência tenham mais rejeição do que a intenção de voto de cada qual.

Fica claro que vale a frase com que o Projeto Syndicate abre seu conjunto de artigos sobre a eleição: "O futuro do país está em jogo".

Se o novo presidente, seja qual for, não conseguir puxar o país do poço, poderá afundar e, junto com ele, a democracia.

 




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



18/12/2018 - Macaco Simão...Urgente - Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República!Frase...
18/12/2018 - Telma Rufino perde vaga para Jaqueline Silva na CLDF - Em uma reviravolta que surpreendeu o meio político, o...
17/12/2018 - ...ainda Paris - Vladimir Safatle - Não deixa de ter sua ironia o fato de...
17/12/2018 - Paris e os coletes amarelos - Laura Carvalho - Em mais uma tentativa de resposta aos acalorados protestos...
16/12/2018 - Preso médium - O médium João de Deus, que se entregou às...
16/12/2018 - Macaco Simão...Urgente - Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República!Tudo...
14/12/2018 - Geleia Geral: história sem arremate - Rubens Shirassu Júnior* - Em 1980, com o fim da censura no país,...
10/12/2018 - Saudades do Brasil - Ruy Castro - Mais um conhecido meu se mudou para Portugal. Nos últimos...
05/12/2018 - O Dono do Mar - William Santiago -  Um dia, eu lhe disse:     - Vamos conhecer...
03/12/2018 - Macaco Simão...Urgente - Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República! Resumo...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca