Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 20 de junho de 2018  


26/12/2017
Da luta de classes... - Vinicius Mota

"O espectro que agora assombra as nações ricas não é a guerra de classes, mas a guerra entre gerações". A frase é do historiador Robert Fogel (1926-2013), Nobel de economia, num sintético mas luminoso livro de 2004, "The Escape from Hunger and Premature Death" (a fuga da fome e da morte prematura).

O rasante que Fogel faz de 300 anos de transformação da máquina fisiológica do Homo sapiens impressiona. Apenas no século 20, a duração da aposentadoria nas nações ricas multiplicou-se por cinco; a parcela dos que vivem o suficiente para aposentar-se, por sete; a quantidade de tempo dedicado ao lazer para aqueles ainda na força de trabalho, por quatro.

Em 1880, cerca de 80% do tempo disponível de um trabalhador era dedicado a ganhar a vida. Em 2040, estima-se que praticamente essa mesma parcela estará livre para ele fazer o que bem entender.

As implicações para a chamada economia política serão soberbas. Dá vontade de rir dos debates contemporâneos sobre "defender as indústrias e os empregos locais", que inspiraram a reforma tributária nos EUA de Trump recentemente.

As preferências de cidadãos longevos emancipados da labuta, fartos de infraestrutura urbana e habitacional e bens industriais, vão agigantar mais o setor de serviços. O gasto com saúde nos Estados Unidos correspondia a 5% do PIB em 1960. Hoje ultrapassou os 18% e continuará subindo até onde a vista alcança.

Significa que o bem-estar virá cada vez menos da capacidade industrial das nações e mais da sua eficiência na oferta de lazer, saúde e educação em todas as etapas da vida, em especial na maturidade.

Os mais jovens, progressivamente diluídos no eleitorado, correm riscos de superexploração caso os sistemas de previdência não sejam equilibrados. Eis a guerra intergeracional, silenciosa e destruidora, da qual Fogel dá notícia.




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



19/06/2018 - A Copa do Mundo já não é a mesma - Juca Kfoury - Nunca cobri in loco uma Copa do Mundo dos chamados tempos...
18/06/2018 - Matou Stálin e foi ao cinema - Mario Sérgio Conti - "A Morte de Stalin" é insólito. Baseado numa história em...
15/06/2018 - Sem inteligência, Brasil não muda... - Jorge Serrão - O Brasil tem prazo de validade. Quem não encarar...
15/06/2018 - Cartas sobre a mesa - Vladimir Safatle - Cada dia que passa, fica mais evidente qual é...
15/06/2018 - Em Dublin no "Bloomsday" - Ruy Castro - Meio por acaso (o motivo da viagem era outro),...
12/06/2018 - À mercê de meliantes - Cláudio Abramo - Uma peculiaridade do grau de despolitização brasileiro é a...
12/06/2018 - Entre o divã e o hospício - Sérgio Rodrigues - O Brasil vai à Copa do Mundo da Rússia como quem se deita...
11/06/2018 - TSE permitirá a brincadeira de Lula? - Jorge Serrão - Disputando com a eleição fraudável com o beneplácito do...
11/06/2018 - Quase irresistíveis - Ruy Castro - Vi outro dia, num jornal, o anúncio de uma...
11/06/2018 - Nascem estrelas no fim do andar - Rubens Shirassu Júnior* - Numa das mais belas e tocantes metáforas do ato...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca