Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 23 de maio de 2018  


11/06/2017
Corrupção e ostracismo - Carlos Heitor Cony

Durante os oito anos do mandato presidencial de Fernando Henrique Cardoso, critiquei-o quase diariamente, chegando ao ponto de me considerarem inimigo pessoal dele. No entanto, votei nele para a Academia Brasileira de Letras e fui compensado com uma brilhante palestra que ele fez sobre Joaquim Nabuco.

Entre outras verdades, ele acentuou que o Brasil, além de manter o seu regime democrático, devia repensá-lo e não poupou críticas à "democracia representativa", apelando para intelectuais e políticos de primeira linha sem compromissos ilícitos com o poder econômico.

A maior prova de que ele tem plena razão é a crise que estamos atravessando. A dependência integral dos partidos e candidatos às propinas e contrapartidas demonstram que um cheque de R$ 10, um almoço com vinho nobre, um jatinho de pequeno porte para uma viagem pessoal podem derrubar um bom candidato ou eleger um corrupto cinco estrelas.

Antes mesmo da palestra de Fernando Henrique Cardoso, eu já tinha a mesma opinião. Excetuando alguns poucos candidatos que podem bancar as mirabolantes despesas de uma campanha, os próprios partidos não têm dinheiro sequer para pagar o telefone de suas sedes.

Na Grécia antiga, país que inventou a democracia, os eleitores escreviam em ostras os nomes dos políticos que não deviam ser eleitos. Surgiu daí a palavra e o conceito do ostracismo.

Não precisamos dos varões de Plutarco nem de matronas de Éfeso, bastam os candidatos que nada recebem da Odebrecht nem masturbam a classe trabalhadora.

Apesar do respeito que devemos ter pela Grécia, que nos deu Platão, Aristóteles, Homero, a música, o teatro, a filosofia, a beleza de Helena e a coragem de Heitor, devemos repensar a democracia sem guerras, sem propinas e sem ostras.Encaminhado por Carlos SA.

 




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



23/05/2018 - É preciso compromisso com o combate as regalias - Renato Feder e Renato Dias - Viver em uma democracia demanda um custo para as...
23/05/2018 - Só informação não bastas - Helio Schwarstman - Merece apoio a iniciativa da Anvisa de melhorar a rotulagem...
23/05/2018 - O truque da bola gelada - Ruy Castro - O francês Michel Platini, ex-craque e cartola acusado de...
21/05/2018 - Num outro mundo... - Helio Schwarstman - Na carta que enviou à presidente do PT, Lula cravou: “Se...
21/05/2018 - Ciro está jogando como profissional - Celso Rocha de Barros - Até o momento, nenhum candidato nas eleições presidenciais de...
21/05/2018 - Novos estilos de esperneio - Ruy Castro - Na quarta-feira (16), falei aqui do jus esperneandi, o direito que...
17/05/2018 - Desafios do Plano Cultural - Rubens Shirassu Júnior* - Como organizar, preservar a memória e monitorar ou uso...
17/05/2018 - Maio de 68, a revolução que deu certo - Contardo Calligaris - Hoje é 17 de maio. Foi quando a greve...
16/05/2018 - Cegueira moral - Mário Sérgio de Melo - Em seu instigante livro Ensaio sobre a cegueira, o premiado...
16/05/2018 - A sacralidade da farda Helio Schwartsman - Não sou de ficar chocado facilmente, mas devo admitir...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca