Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca

O que você espera de 2017?

 
ver todos os resultados
 
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 18 de novembro de 2017  


06/07/2017
"João sem Medo" - Nelson Rodrigues

Amigos, não acreditem, pelo amor de Deus, que as qualidades influem no amor. Influem pouquíssimo ou nada. Nunca me esqueço de um vizinho que tive na minha infância profunda. Era um santo da cabeça aos sapatos ou, melhor dizendo, da cabeça às sandálias. Do berço ao túmulo, não praticou uma má ação. Era todo amor, todo bondade. E só me admira que não andasse com um passarinho em cada ombro.

Pois bem: — um dia, casou-se. Para usar uma velha imagem minha, direi que entrou por um cano deslumbrante. Já os conhecidos diziam-lhe: — “Cuidado, que um dia tua mulher te dá bola de cachorro”. E, certa vez, na presença de visitas, ela o destratou de alto a baixo: — “Eu queria um marido, não um santo”. E ainda completou: — “Tenho nojo de tua bondade”. Em outra ocasião, a víbora explodiu: — “Arranja um defeito. Ou arranjas um defeito ou me desquite”. Não foi possível. A perfeição do infeliz aumentava de quinze em quinze minutos.

Até que se separaram. E quando um inocente do Leblon perguntou à víbora se ele a maltratava, ela urrou: — “Aquela besta é um santo!”. Por aí se vê, a virtude exagerada, em vez de favorecer o amor, pode liquidá-lo. Estou farto de ver sujeitos que são amados pelos seus defeitos.

Por exemplo: — o meu caro João Saldanha. Tenho-lhe um afeto de irmão. Quebrei minhas lanças para que a CBD O escolhesse. João Havelange e Antônio do Passo tiveram um momento de lucidez ou mesmo de gênio, um momento digno de um Disraeli, e o chamaram. Ao ter a notícia, berrei: — “É o técnico ideal!”. Um amigo meu, bem pensante insuportável, veio me perguntar: — “Você acha que o João tem as qualidades necessárias?”. Respondi: — “Não sei se tem as qualidades. Mas afirmo que tem os defeitos necessários”. E, realmente, o querido Saldanha possui defeitos luminosíssimos.

Por exemplo: — é um furioso. Não acendam um fósforo perto dele que o João explode. E aí está o primeiro e maravilhoso defeito: — uma Copa do Mundo é uma selva de gângsteres. Dirão que é exagero. Exagero, uma ova. Perdão. Exagero, vírgula. Tudo é possível na Jules Rimet, menos uma boa ação. Portanto, se o João é um Tartarin ou, melhor dizendo, se cospe mais fogo do que o dragão de são Jorge, melhor para o Brasil. O técnico não precisa apenas entender de bola. Antes de mais nada, precisa ser um guerreiro.

Outro defeito: — ele fará qualquer negócio para o Brasil ser campeão do mundo e voltar com o caneco de ouro. Dirão vocês: — “Mas é feio!”. Ora, ora. Desde quando o bonito ganhou a Copa? De mais a mais, só os subdesenvolvidos têm escrúpulos. O inglês é um grande povo. Na guerra, salvou o mundo com a sua resistência. Mas em 66 a Inglaterra foi de um descaro empolgante. Manipulou juizes, baixou o pau, fez horrores e ganhou. Portanto, com as suas qualidades o inglês salvou o mundo; com os seus defeitos, ganhou a taça.

Mais outro defeito do João: — doutrinou o escrete para não levar desaforo para casa. Os lorpas, os pascácios, os bovinos hão de perguntar: — “E a esportividade?”. Respondo que, na Copa, a esportividade é uma piada de necrotério. Dirão que em 58 e 62 fomos bonzinhos. Mas os demais concorrentes fizeram o diabo. E nós fomos bonzinhos graças ao nosso bom subdesenvolvimento.

Mais um defeito do Saldanha: — a dionisíaca e, ao mesmo tempo, santa molecagem carioca. Foi para a Europa estudar os adversários. Mas lá não perdeu tempo. Pôs a boca no mundo: — “O futebol europeu é uma carnificina!”. Disse, ou por outra, berrou isso em todos os idiomas. Hoje, até os esquimós sabem que, na Europa, os jogadores bebem o sangue do adversário como se groselha fosse. Ora, o que o Saldanha está fazendo, de país em país, é um terrorismo bárbaro. Está coagindo os europeus, e todos os concorrentes. Se há um foul modesto ele espalha aos quatro ventos: — “Assassinato! Assassinato!”. Já os juizes de 70 estão acuados. Não queiram saber o que o João não fará no próximo Mundial.

Ele fez a advertência mundial: — “Meu jogador não dará o primeiro tiro. Mas, se começarem, nós vamos acabar com a guerra”. E os europeus, uns latagões, com uma saúde de vaca premiada, já tremem diante do João e já começam a sentir um prévio e insuportável sentimento de culpa. Creiam que, com os defeitos de “João Sem Medo”, o Brasil ganhará a Copa.

[O Globo, 6/11/1969].Encaminhado por Carlos SA.




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



22/10/2017 - Mediocre, corrompido e fracassado... Juka Kfouri - juca kfouri  Tem mais de 40 anos de profissão. É...
20/09/2017 - Copa Abarka - A primeira semana da IX Copa Interescolar Abarka de...
14/07/2017 - Dragões de esporas e penachos - Nelson Rodrigues - Amigos, foi a mais bela vitória do futebol mundial...
13/07/2017 - O mais belo futebol da terra - Nelson Rodrigues - Em 58, na véspera de Brasil x Rússia, entrei...
12/07/2017 - Deslizando como cisnes - Nelson Rodrigues - Amigos, bem sei que ninguém se ruboriza mais. O...
11/07/2017 - Os entendidos - Nelson Rodrigues - Por que o Brasil não gosta do Brasil e...
08/07/2017 - O grande dia de Otacilio e Odete - Nelson Rodrigues - Não sei se repararam que os maridos não matam...
07/07/2017 - O grande sol do escrete - Nelson Rodrigues - Disse Rilke que a glória, o que chamamos glória,...
05/07/2017 - O belo milagre das vaias - Nelson Rodrigues - O escrete parte hoje. Termina o seu exílio e,...
03/07/2017 - Nelson, Mao e Pelé - Nelson Rodrigues - Amigos, vocês conhecem, decerto, o maior feito de Mao...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca