Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 19 de julho de 2019  


28/06/2019
O pão e a cocotinha - William Santiago

William Santiago

       Um dos indícios da idade, fora o desgaste do tempo, é o vocabulário. Um amigo meu, aí por 2004, foi receber um conhecido no aeroporto de Brasília e, depois das boas vindas de praxe, o recém-chegado foi logo dizendo, ansioso, em meio às centenas de pessoas que esperavam no desembarque:

- Vamos logo tomar uma brama e armar com as cocotinhas. Quatorze anos fora do Brasil, tô morrendo de saudade de tudo.

O anfitrião foi logo dizendo:

- Cara, peraí, deixa a gente sair daqui primeiro, senão vão logo saber nossa idade. Brama, cocotinha...

Segundo meu amigo, isso realmente aconteceu. Mas não importa se é “vero o bene trovato”: o vocabulário de uma pessoa entrega realmente a sua idade. Quando era criança, ouvia os jovens dizendo:

- Vou ver o broto e andar de bonde no jardim.

O broto era a namorada ou namorado, andar de bonde era andar de mãos dadas, de um extremo ao outro da pracinha. Que delícia, principalmente se havia por perto uma dama-da-noite em flor.

Alguém, uns vinte anos antes, diria:

- Vou ao footing hoje à noite. Marquei encontro com minha dama.

Hoje já não há pracinha nem footing nem encontros e passeios de mãos dadas. É que até as cidades pequenas mudaram. Os jovens se encontram nos bares, lanchonetes e botecos, passeiam de carro ou de moto.

Cocotinha, pão eram os termos que queriam dizer menina moderninha e rapaz bonito na época da Jovem Guarda.

A cerveja, durante muito tempo, foi brama. Podia ser Antarctica ou outra marca qualquer, mas era uma brama.

- Me vê aí uma brama!

- Qual?

- Da Antarctica, bem gelada.

E as geladeiras? Amigos meus, gaúchos, de minha faixa etária, sempre se referiam à geladeira como “frigidaire”.

- Vai lá e pega uma brama na frigidaire.

E eu, até hoje, sempre chamo creme dental de dentifrício.

Então, querido leitor, se não quer parecer velho de cara, atualize, antes de tudo, o vocabulário. Nesse caso aí, se alguém se incomoda, o peixe morre realmente é pela boca.
William Santiago.




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



15/07/2019 - Velhxs - Fernanda Torres - Você percebe que envelheceu quando alguém que conheceu bebê...
13/07/2019 - Que venha a cerveja 100% milho - Marcos Nogueira - Fez muito barulho a assinatura, pelo presidente Jair Bolsonaro,...
11/07/2019 - Pelo direito ao porte de livro - Reinaldo Figueiredo - Com a realização de mais uma Festa Literária Internacional de...
11/07/2019 - João Gilberto... - Ruy Castro - Ruy CastroA música popular, de toda parte, não tem muitas...
02/07/2019 - Macaco Simão...Urgente - Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República!...
02/07/2019 - O analfabeto ambiental - José Leitão - Parodiando Brecht ouO ANALFABETO AMBIENTALO Analfabeto Ambiental vê apenas...
24/06/2019 - O crime de Moro - Plácido Fernandes - No Brasil, trava-se claramente uma guerra jurídica de grandes...
21/06/2019 - Aquecimento Global - Someni Sengupta (The New York Times) - A mudança climática está "comendo" as geleiras do Himalaia,...
17/06/2019 - Vermelhos - Fernanda Torres - Apavorada com os rumos do país e do planeta,...
15/06/2019 - Macaco Simão...Urgente - Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República!Greve...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca