Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 19 de julho de 2019  


14/06/2019
Anestesiados e cegos - Rubens Shirassu Jr

Fahrenheit 451 de Ray Bradbury é um clássico das distopias do século 20. O escritor criou um mundo que, a princípio, parece impensável mas, aos poucos, vamos percebendo o quão próximo estamos de algumas situações descritas.

Publicado em 1953, o livro retrata um mundo a partir de 1990 – ou seja, o que conhecemos hoje. Um mundo na ficção com pessoas alienadas que falavam apenas de “marcas de carros ou roupas ou piscinas.” (oh!!! espere aí…) O fato é que uma vida sem livros deixou as pessoas sem base para criar ideias, sem assuntos para conversas, sem motivos para interagirem. Entretanto, existe um pequeno grupo conservando e divulgando pequenas bibliotecas às escondidas. O devaneio, a poesia, a filosofia e a ficção foram extintos porque não se admite perder tempo com algo que, em vez de puro entretenimento, ofereça inquietação e angústia

O conceito da história podia parecer absurdo em 1953 – a ponto de ser classificado como ficção científica – mas hoje, não acredito que isso esteja tão distante, lamentavelmente. No livro, o constante pavor do silêncio levou a população a manter a televisão ligada e o cérebro plugado na programação. É como hoje onde quase tudo que existe para nos conectar também acaba nos distraindo do mais importante: pensar e analisar o tanto de informação que temos.

Mas a redução das ideias ao binarismo, o desprezo ao intelectual, o fluxo de informações num nível inassimilável fizeram da ficção científica de Bradbury, um gênero bem mais próximo do realismo.

Em tempo de trevas, junto aos grupos resistentes ao pensamento único, além da crise das instituições, Fahrenheit 451 retrata uma sociedade anestesiada, que abandonou o pensamento independente, a interação com os outros e o próprio mundo natural. Sua visão de tecnologia aliada ao desejo humano de progredir - levando à nossa degradação - é um tema controverso que permanece relevante até hoje.




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



15/07/2019 - Velhxs - Fernanda Torres - Você percebe que envelheceu quando alguém que conheceu bebê...
13/07/2019 - Que venha a cerveja 100% milho - Marcos Nogueira - Fez muito barulho a assinatura, pelo presidente Jair Bolsonaro,...
11/07/2019 - Pelo direito ao porte de livro - Reinaldo Figueiredo - Com a realização de mais uma Festa Literária Internacional de...
11/07/2019 - João Gilberto... - Ruy Castro - Ruy CastroA música popular, de toda parte, não tem muitas...
02/07/2019 - Macaco Simão...Urgente - Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República!...
02/07/2019 - O analfabeto ambiental - José Leitão - Parodiando Brecht ouO ANALFABETO AMBIENTALO Analfabeto Ambiental vê apenas...
28/06/2019 - O pão e a cocotinha - William Santiago -        Um dos indícios da idade, fora...
24/06/2019 - O crime de Moro - Plácido Fernandes - No Brasil, trava-se claramente uma guerra jurídica de grandes...
21/06/2019 - Aquecimento Global - Someni Sengupta (The New York Times) - A mudança climática está "comendo" as geleiras do Himalaia,...
17/06/2019 - Vermelhos - Fernanda Torres - Apavorada com os rumos do país e do planeta,...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca