Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 26 de março de 2019  


05/01/2019
Governo Bolsonaro contribui para o Febeapa

Em 1966, o jornalista, humorista e compositor Stanislaw Ponte Pretapublicou uma reunião de crônicas que escrevia para o jornal Última Hora. Sérgio Porto (1923-1968), seu nome verdadeiro, dedicava-se naquela época a ironizar situações bizarras que se produziam sob o regime militar instituído em 1964.

O livro intitulava-se “Febeapá”, sigla para “Festival de Besteira que Assola o País”. Ao todo foram três volumes, que foram reunidos em 2015 pela Companhia das Letras. 

Traziam passagens como essa: “Em Mariana (MG), um delegado de polícia proibiu casais de sentarem juntos na única praça namorável da cidade e baixou portaria dizendo que moça só poderia ir ao cinema com atestado dos pais”. 

Bem, seria uma injustiça atribuir apenas ao período militar ocorrências como essas. Temos —e não estamos sozinhos nisso—  secular tradição de bobagens produzidas por governos de todos os tipos, à direita ou à esquerda.

Este início da gestão de Jair Bolsonaro, contudo, vem se revelando particularmente promissor para quem pretenda lançar uma nova compilação de besteiras das autoridades governamentais. 

Especialmente fértil nesse quesito tem se mostrado a trinca formada pelos ministros da Educação, das Relações Exteriores e dos Direitos Humanos —uma espécie de núcleo raiz do governo. Mas não são apenas eles. Outros, como o general Augusto Heleno, já se prontificaram a contribuir.

Não foi preciso mais do que dois dias para sabermos isto:

1 - que se inaugura “uma nova era no Brasil”, na qual “meninas vestem rosa e meninos azul”,

2 - que o “marxismo cultural faz mal à saúde”,

3 - que “o problema do mundo não é a xenofobia, mas a oikofobia  —de oikos, oikía, o lar. Oikofobia é odiar o próprio lar, o próprio povo, repudiar o próprio passado”,

4 - que “posse de arma se assemelha à posse de automóvel”.

Está bom ou quer mais? 

Marcos Augusto Gonçalves.Editor de projetos especiais, foi editor de Opinião e repórter especial. É autor de 1922 – A Semana que Não Terminou - Folha de São Paulo.




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



26/03/2019 - Temer troca improvisada cela pelos braços da bela Marcela - Jorge Serrão - A interpretação libertária da nossa Constituição não permite deixar...
26/03/2019 - Doentes Saudáveis - Drauzio Varellla - Quanto mais velho fico, menos medicamentos prescrevo. Xaropes, vitaminas,...
19/03/2019 - Macaco Simão...Urgente - Os Trumpalhões - Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente! O Esculhambador Geral da...
19/03/2019 - Bocólsonaro? - Carlos Maurício Mantiqueira - Não fôramos macaco velho, estaríamos hoje apopléticos, aparvalhados, perplexos...
18/03/2019 - O mundo no bolso - Ruy Castro - Um sujeito chamado Jerry Merryman morreu no dia 27...
16/03/2019 - Ditadura Togada? - Jorge Serrão - Alguns problemas inviabilizam o Brasil. O Modelo Estatal Capimunista...
15/03/2019 - A Educação pela bala - Vladimir Safatle - Como se não bastasse a tragédia, na sequência há...
15/03/2019 - Cama - Fernando Torres - Lisboa. O taxista que me levou até o aeroporto era...
14/03/2019 - Macaco Simão...Urgente - Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República! Piada Pronta:...
11/03/2019 - Perdendo o sono - Hélio Schwartsman - Nos últimos anos, caí numa rotina de dormir entre cinco...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca