Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 20 de novembro de 2018  


22/10/2018
Sem direção e faixa etária - Rubens Shirassu Júnior

Política é uma coisa séria, eleição outra, onde fatores emocionais predominam, e quanto pode custar (em termos de voto) um pequeno erro estratégico numa campanha eleitoral e como modelar a imagem de um candidato neste momento e no século 21 no Brasil. Na verdade, ele não é muito mais do que um produto a ser vendido.

Enquanto alguns metem as mãos no próprio bolso, numa tentativa até de comprar voto, outros usam a cabeça. E para maior tranquilidade, às vezes, nem a própria. Esses descobriram o baú da felicidade do marketing, artefatos para fins políticos, também. Uma ação de marketing permanente de qualquer partido ou candidato, evitaria manifestações do tipo: “Cambada, eles só aparecem na minha porta para pedir voto.” O mais importante do que vender um político, o marketing aqui deve ser arma engatilhada constantemente, atirando a posição do partido em todos os assuntos do cotidiano nacional. O marketing tem que ser do partido e não só do candidato. É mais fácil identificar e aproximar o candidato ao eleitor depois de ficar clara a posição do partido. O planejamento não deve ser apenas eleitoral, mas amplo. Um exemplo que vem à sua cabeça: o Plano Cruzado. Na hora em que foi anunciado o congelamento de salários, tarifas e preços, os partidos que fossem, deveriam ter outdoors e outras mensagens com posições contra ou a favor das medidas. Isso pode reforçar a imagem do partido, atrair interessados para suas causas.

Dois pontos básicos que devem ser permanentes nas campanhas políticas, são: 1) Não contrariar a vocação histórica do partido nem seu conteúdo pragmático. Se um partido é nitidamente de empresário, não tem que fazer campanha com propostas de esquerda. 2) Aproveitar cada item do programa e ligá-lo à realidade. Como o político quer que o eleitor o escolha como melhor se quem vota não conhece as dificuldades que o candidato terá de enfrentar pela frente? Falar com caspa no ombro e vassoura na mão ou propagar o uso de armas pela população talvez não seja a melhor técnica para as campanhas de hoje. Artifícios como esses, na verdade, devem ser renunciados. A pesquisa do perfil do eleitor jovem, depois dos regimes militares, consegue exigir de seus candidatos apenas empregos e casa própria. Títulos de eleitor à mão, o representante da classe média assiste a discursos pela TV colorida à procura de quem defenda a estabilidade econômica. É uma garantia de que ele não perderá o emprego e o statusalcançado. A campanha não deve ser dirigida só aos brasileiros maiores de 18 anos – condição sine qua non para ter em mãos o título de eleitor. A criança de hoje tem 300 por cento mais de conhecimento, porque está na era da internet e dos dispositivos móveis, do que aquela que dependia basicamente da informação escrita.

*Rubens Shirassu Júnior, escritor, pesquisador e pedagogo de São Paulo. Autor, entre outros, de Religar às Origens (ensaios e artigos, 2011) e Sombras da Teia (contos, 2016).




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



14/11/2018 - Ativismo e vida sexual clandestina - Rubens Shirassu Júnior - A ideia original partiu de conhecer o Brasil na...
13/11/2018 - Macaco Simão...Urgente - Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República!Piadas...
13/11/2018 - Acordando com o rádio - Ruy Castro - Nesta época de redes sociais, ainda sou dos que...
10/11/2018 - F65.0 Hélio Schwartsman - F65.0 é o código da CID-10 (Classificação Internacional de...
05/11/2018 - O Pavão - Rubem Braga - Eu considerei a glória de um pavão ostentando o...
30/10/2018 - Gritos na noite... - Renato SantAna - Assombroso! Às 22:10 da noite deste 28/10/2018, poucas horas...
30/10/2018 - Macaco Simão...Urgente - Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente!O esculhambador-geral da República! Sensacionalista:...
29/10/2018 - Não é este o Brasil que eu quero - Por Jacob Fortes - O agricultor Januário, possuidor de uma modesta gleba, ”Engenho...
27/10/2018 - Macaco Simão...Urgente - Pra votar no Bolsonaro tem que apresentar diploma de...
27/10/2018 - Crapulices de Capa e Espada - Mário Sérgio Conti - O que acontecerá amanhã é produto da crise econômica...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca