Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 17 de novembro de 2018  


13/09/2018
Tática em teste - Janio de Freitas

A oficialização da candidatura de Fernando Haddad é o terceiro início da sucessão presidencial. O primeiro para valer foi com as convenções de julho que indicaram os candidatos, e o segundo com a abertura da campanha oficial. Salvo imprevistos, enfim estão fixados os nomes definitivos para a disputa como há tempos o Judiciário desejava. À margem do processo oficial, o que começa é o teste mais audacioso e grave dos muitos vividos por Lula como homem público.

Teste, não pela indicação de um candidato capaz mas eleitoralmente problemático, se o PT não oferecia melhores possibilidades, e também não pela transferência de votos esperada por Lula. Teste, isso sim, pela tática aplicada ao PT e seus reflexos para muito além do partido. É evidente que o Brasil está em uma encruzilhada, na qual a eleição presidencial pode ser decisiva. Para tudo o que não é direita ideológica, vencer a eleição significa vida e liberdade. O que, em visão muito difundida, recomendaria união das forças não direitistas, assim imbatíveis.

Lula traçou outra tática para o PT, essa que o compeliu a sujeitar-se à concepção sucessória do Judiciário. Vitória da direita seria em grande parte debitada à recusa de unidade e à tática de Lula, que se confundem. Seu teste final terá apenas as três semanas e meia da exiguidade eleitoral deixada a Fernando Haddad.

A primeira
Dias Toffoli toma posse nesta quinta (13) na presidência do Supremo, como sucessor de Cármen Lúcia, cercado por esperanças. O hábito no jornalismo de amansar as palavras referentes a certos poderes e poderosos, e endurecê-las em referência a outros, tem mencionado a esperança de volta da imagem, de consenso e de harmonia entre os ministros do tribunal. Tudo isso, e mais alguma coisa, na verdade quer dizer esperança de que Toffoli recomponha, ao menos no essencial, a respeitabilidade sem a qual o Supremo não o é.

A esperança do próprio Toffoli repousa em cuidados que começam pelo adiamento, para 2019, das decisões de plenário em casos tendentes a acirrar divergências e condutas comprometedoras, a exemplo dos pedidos de vista para conclusões. 

A intenção de Tofolli e sua consequência são conflitantes. As questões que esquentam o plenário são, em geral, importantes para segmentos expressivos do país. Nada justifica que decisões em tais temas sejam proteladas devido a maus humores e espetáculos de descontrole pessoal de ministros.

O dever do Supremo é proceder aos julgamentos no melhor prazo, por conveniência do país. Mas nos adiamentos existiria, ainda, a injustiça com a parte que recorreu ao Supremo e não deve depender da conduta de juízes para ter os direitos e a causa examinados.

Mais do que um plenário de pessoas, irascíveis ou não, políticas ou não, o Supremo é um foro de magistrados com a obrigação de serem tão impessoais quanto possível.

Cármem Lúcia também foi motivo de muita esperança, mas a esperança em Toffoli é sinal eloquente de quanto sua antecessora se perdeu entre falta e excesso de autoridade, entre atitudes como impedir julgamentos ou revisões e salvar Aécio Neves.

A esperança é a última que morre porque é a primeira que corre.Encaminhado por Carlos SA.

 




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



14/11/2018 - Ativismo e vida sexual clandestina - Rubens Shirassu Júnior - A ideia original partiu de conhecer o Brasil na...
13/11/2018 - Macaco Simão...Urgente - Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República!Piadas...
13/11/2018 - Acordando com o rádio - Ruy Castro - Nesta época de redes sociais, ainda sou dos que...
10/11/2018 - F65.0 Hélio Schwartsman - F65.0 é o código da CID-10 (Classificação Internacional de...
05/11/2018 - O Pavão - Rubem Braga - Eu considerei a glória de um pavão ostentando o...
30/10/2018 - Gritos na noite... - Renato SantAna - Assombroso! Às 22:10 da noite deste 28/10/2018, poucas horas...
30/10/2018 - Macaco Simão...Urgente - Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente!O esculhambador-geral da República! Sensacionalista:...
29/10/2018 - Não é este o Brasil que eu quero - Por Jacob Fortes - O agricultor Januário, possuidor de uma modesta gleba, ”Engenho...
27/10/2018 - Macaco Simão...Urgente - Pra votar no Bolsonaro tem que apresentar diploma de...
27/10/2018 - Crapulices de Capa e Espada - Mário Sérgio Conti - O que acontecerá amanhã é produto da crise econômica...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca