Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 17 de novembro de 2018  


10/09/2018
Independência e sabotagem da Nação - Mário Sérgio de Melo

Dia de comemoração da Independência, quase duzentos anos! Dia de reflexão. O Brasil hoje encontra-se em profunda crise, um retrocesso quase inimaginável. O desemprego avança, a dívida pública cresce, direitos trabalhistas regridem, a miséria volta a fazer parte do nosso cotidiano, o fascismo, o ódio, a violência revelam-se sem escrúpulos, a juventude nas escolas públicas demonstra que não acredita nos benefícios da educação, prefere vias alternativas para a sobrevivência.

Como chegamos a este ponto, depois de um perceptível avanço na democracia após a ditadura militar? Tentar responder a essa pergunta é essencial para podermos colocar o país de novo num rumo de progresso social, econômico e político, fortalecendo sua autonomia perante a rapinagem internacional.

O Brasil é um país continente. Com clima generoso, é o detentor dos maiores caudais de águas doces do mundo. É também o país que recebe a maior insolação, a energia do futuro. Tem minérios, solos agricultáveis, petróleo, uma espantosa biodiversidade que encerra incontáveis insumos naturais conhecidos e desconhecidos. Abriga uma vasta população com identidade cultural, religiosa e de idioma. Um povo de índole pacífica, amistosa e hospitaleira, os brasileiros são alegres, criativos, artistas por natureza.

Tudo isto faz do país uma jóia preciosa e rara, neste nosso planeta precioso e raro. Há muito despertamos a cobiça estrangeira. Mas de todas as ameaças, aquela que vem da águia cujas garras e bicos parecem querer subjugar todas as nações e povos do planeta é a mais ameaçadora. A águia é um predador implacável, insaciável. No Brasil, derruba governos eleitos (Getúlio, Jango, Dilma), implanta ditaduras e doutrinas de segurança criminosas, coopta uma elite mercenária tirana dominada por preconceitos atávicos e egoísmo desmesurado. Elite que não logra atinar com o ideal de uma nação justa e soberana, onde a igualdade de direitos e a ausência de privilégios fariam com que todos vivessem melhor.

O notável economista John Maynard Keynes na primeira metade do século XX já alertava que a economia saudável depende de três pressupostos: disponibilidade de bens, recursos para adquiri-los e vontade para produzi-los. E que esta vontade depende da expectativa. Para o economista, os empreendedores são movidos por um “espírito animal” selvagem, por isso a necessidade do controle da economia pelo Estado.

No Brasil, fez-se um esforço para aumentar a capacidade do povo simples para adquirir bens básicos, através de programas sociais, aumento dos salários menores, programas de investimento em obras de infraestrutura para avançar no pleno emprego, distribuição da renda. Mas a elite mercenária, presa de atavismos escravocratas que marcam a ferro e fogo a história do país, não suportou ver o outrora miserável prosperar. Controladora dos meios de produção, da mídia e dos políticos e legisladores, essa elite atrasada e assustada freou investimentos, travou o necessário aumento da disponibilidade de bens, desempregou, minou expectativas, alardeou e potencializou uma crise que poderia ter evitado, emperrou o crescimento, sangrou a economia.

E enquanto o fazia, usando a mídia a seu serviço, acusou o governo popular de ser o único responsável pela corrupção e os desacertos do país. Conseguiram o golpe que, mais uma vez em nossa história, derrubou o governo legítimo e colocou em seu lugar um fantoche dos interesses das corporações transnacionais e da elite mercenária, que estão fazendo o país voltar aos tempos da colônia fornecedora de matérias primas e de mão de obra escrava. A lógica de tais interesses é simples: prioridade para o mercado em detrimento dos trabalhadores, fortalecimento de uma casta de mercenários nacionais entreguistas com altos ganhos, internacionalização da economia, concentração da renda, empobrecimento da população simples.

E só o conseguiram porque a elite do país cumpre muito bem seu papel de mercenários entreguistas, que não conseguem colocar o interesse coletivo, o ideal de nação, acima de seus atavismos e ambições egoístas. Esta elite está sabotando o Brasil, um país que tem tudo para ser uma grande nação. E que não será independente enquanto a vontade popular não prevalecer.Encaminhado por Carlos SA.

 




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



14/11/2018 - Ativismo e vida sexual clandestina - Rubens Shirassu Júnior - A ideia original partiu de conhecer o Brasil na...
13/11/2018 - Macaco Simão...Urgente - Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República!Piadas...
13/11/2018 - Acordando com o rádio - Ruy Castro - Nesta época de redes sociais, ainda sou dos que...
10/11/2018 - F65.0 Hélio Schwartsman - F65.0 é o código da CID-10 (Classificação Internacional de...
05/11/2018 - O Pavão - Rubem Braga - Eu considerei a glória de um pavão ostentando o...
30/10/2018 - Gritos na noite... - Renato SantAna - Assombroso! Às 22:10 da noite deste 28/10/2018, poucas horas...
30/10/2018 - Macaco Simão...Urgente - Buemba! Buemba! Macaco Simão Urgente!O esculhambador-geral da República! Sensacionalista:...
29/10/2018 - Não é este o Brasil que eu quero - Por Jacob Fortes - O agricultor Januário, possuidor de uma modesta gleba, ”Engenho...
27/10/2018 - Macaco Simão...Urgente - Pra votar no Bolsonaro tem que apresentar diploma de...
27/10/2018 - Crapulices de Capa e Espada - Mário Sérgio Conti - O que acontecerá amanhã é produto da crise econômica...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca