Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 20 de junho de 2018  


12/06/2018
À mercê de meliantes - Cláudio Abramo

Uma peculiaridade do grau de despolitização brasileiro é a timidez de quem se considera de esquerda em declará-lo. Fascistas e protofascistas sentem-se à vontade para usar o termo "esquerdista" como epíteto acusatório. Isso se deve, é claro, à derrocada do Partido dos Trabalhadores --que, ironicamente, nunca foi de esquerda, mas da centro-esquerda católica.

Os partidos que seriam de esquerda são uma piada: o Partido Comunista do Brasil (PC do B) transformou-se em mamífero dos cofres públicos na área de esportes; o Partido Socialista Brasileiro (PSB) é em boa parte composto por insalubre contingente de ruralistas.

Em passagem digna de pastelão, há alguns anos o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, candidatou-se a cargo executivo pelo PSB —o qual, como resultado, deveria passar a se denominar Partido Social-Capitalista.

Sobram micropartidos (PSOL, PSTU, PCO) com doutrinas às vezes bizarras e que, obedientes à sina da esquerda, digladiam-se entre si.

Estamos imersos numa atmosfera em que a esquerda organizada morreu e a direita nada de braçada, impulsionada por instituições armadas, evangélicos, sonegadores de impostos, militares antidemocráticos, executivos de nível ginasial aspirantes a CEO e mais um montão de jovens boçalizados pela ignorância e pela falta de perspectivas de vida.

A direita reivindica intervenção militar, pena de morte, execuções sumárias, prisão perpétua para menores delinquentes, Estado mínimo num lugar em que o poder público é todo privatizado por interesses empresariais, criminosos ou ambos.

Quando não propaga, cala-se sobre o preconceito antipobre, antimulher, antigay, sobre a xenofobia, o racismo e o antissemitismo; força o fechamento de mostras de artes plásticas e por aí vai. Nada existe nessa gente que a redima.

Até o liberalismo que propõe é um embuste. Não se trata do liberalismo herdeiro do iluminismo, mas a subjugação de todos à exploração escravista do capitalismo selvagem.

É verdade que a extinção da esquerda organizada e a ascensão da extrema direita pululam ao redor do mundo. A esquerda sumiu faz tempo mesmo num país como a Itália, em que todo mundo sabe de cor as letras de "Bandiera rossa" e de "Bella ciao" (não a paródia indecente que anda por aí, mas o canto dos partigiani antifascistas).

O desaparecimento da esquerda partidária não significa a extinção das pessoas de esquerda. Muitas parecem acuadas pela agressividade dos fascistas, algo que também afeta os liberais de verdade. Isso faz muito mal, pois transmite a impressão de que a cantilena fascista seria predominante na sociedade.

Confunde-se a descrença (justificada) nas instituições da democracia representativa com saudades do totalitarismo.

Tomando as eleições deste ano, a direita rapidamente se organiza em torno de uma candidatura presidencial, enquanto os antifascistas parecem relutar —quando deveriam unir-se em torno de uma única candidatura viável, que se comprometa com certas plataformas políticas (outro assunto, para outra ocasião).

A despolitização sempre tem como corolário o predomínio da direita. Para quem pensa que a extrema direita brasileira trará algum benefício à vida pública, saibam que o resultado serão recuos ainda maiores dos que já se verificam na salvaguarda dos direitos humanos e o agravamento da obscena disparidade de renda do país.

Beneficiados serão os bancos, os financistas, os ruralistas, as grandes fortunas, as oligarquias, que oprimem não apenas os pobres, mas todos vocês que, sem saber o porquê, brandem bandeirinhas do Brasil enquanto seguem meliantes ideológicos.

Claudio Weber Abramo.




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



19/06/2018 - A Copa do Mundo já não é a mesma - Juca Kfoury - Nunca cobri in loco uma Copa do Mundo dos chamados tempos...
18/06/2018 - Matou Stálin e foi ao cinema - Mario Sérgio Conti - "A Morte de Stalin" é insólito. Baseado numa história em...
15/06/2018 - Sem inteligência, Brasil não muda... - Jorge Serrão - O Brasil tem prazo de validade. Quem não encarar...
15/06/2018 - Cartas sobre a mesa - Vladimir Safatle - Cada dia que passa, fica mais evidente qual é...
15/06/2018 - Em Dublin no "Bloomsday" - Ruy Castro - Meio por acaso (o motivo da viagem era outro),...
12/06/2018 - Entre o divã e o hospício - Sérgio Rodrigues - O Brasil vai à Copa do Mundo da Rússia como quem se deita...
11/06/2018 - TSE permitirá a brincadeira de Lula? - Jorge Serrão - Disputando com a eleição fraudável com o beneplácito do...
11/06/2018 - Quase irresistíveis - Ruy Castro - Vi outro dia, num jornal, o anúncio de uma...
11/06/2018 - Nascem estrelas no fim do andar - Rubens Shirassu Júnior* - Numa das mais belas e tocantes metáforas do ato...
06/06/2018 - 2084: o ano que tudo deu certo - Reinaldo Figueiredo - Waldyrsson e seu filho estavam saindo da monumental Sala...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca