Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 24 de fevereiro de 2018  


02/02/2018
Os quatro passos em direção ao amor

O amor é o encontro, o encontro orgástico entre a morte e a vida. A menos que venha a conhecer o amor, você perdeu. Você nasceu você viveu e você morreu, mas você perdeu. Você perdeu tremendamente, você perdeu completamente, você perdeu absolutamente – você perdeu o intervalo que há no meio. Esse intervalo é o pico mais alto, a experiência máxima.

Para atingi-lo existem quatro passos a serem lembrados. O primeiro passo: esteja aqui e agora – porque o amor só é possível aqui e agora. Você não pode amar no passado. Muitas pessoas simplesmente vivem na memória – elas amaram no passado. E há outras que amam no futuro – isso também não pode ser feito. O amor só é possível no presente, porque somente nesse momento a vida e a morte estão se encontrando... no intervalo escuro que está dentro de você.  Esse intervalo escuro é sempre o presente, sempre o presente, sempre o presente. Jamais é passado e jamais é futuro.

Se você pensa demais – e pensar é sempre do passado e do futuro – suas energias serão desviadas dos sentimentos. O sentir está no aqui e agora. Se suas energias estiverem se dirigindo para o pensamento, você não terá energia suficiente para penetrar nos sentimentos – e o amor não será possível.

Assim o primeiro passo é estar no aqui e agora. Futuro e passado trazem o pensamento; o pensar destrói o sentir. E uma pessoa demasiado obcecada pelo pensamento acaba esquecendo que ela também tem coração.

O segundo passo em direção ao amor é aprender a transformar seus venenos em mel... porque muitas pessoas amam, mas seu amor esta muito contaminado por venenos – com ódio, com ciúme, com raiva, com possessividade.  Mil e um venenos rodeiam o seu amor. O amor é uma coisa delicada. Simplesmente pense em raiva, ódio, possessividade, ciúmes; como pode o amor sobreviver?

Primeiro as pessoas se movem pra cabeça e esquecem o coração – e elas são a maioria. Uma minoria ainda vive um pouco no coração, mas essa pequena minoria ainda comete um outro erro: a pequena luz do amor está rodeada de ciúme, raiva e mil e um venenos. Então toda jornada se torna amarga.

O terceiro passo: compartilhe. Sempre que o estado for negativo, guarde-o pra si mesmo. Sempre que for positivo, compartilhe. Normalmente as pessoas compartilham suas negatividades, elas não compartilham suas positividades. A humanidade é simplesmente estúpida. Quando as pessoas estão felizes, não compartilham, são muito miseráveis. Quando estão infelizes, elas são muito esbanjadoras.

E o quarto passo: seja um nada. No momento em que você passa a acreditar que é alguém, você para; então o amor não flui. Quando você esta vazio, há amor; quando você esta cheio de ego, o amor desaparece. O amor e o ego não podem existir juntos.

                                                                                                                                          SHREE RAJNEESH. Encaminhdo por Carlos SA.




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



24/02/2018 - Não, a culpa não é dos outros... Rodrigo Zeidan - Estava na casa de um amigo quando o filho...
22/02/2018 - Tecnicismo que tira rico da cadeia... Roberto Dias - Nem Hércules daria conta de carregar a culpa cabível...
22/02/2018 - Com esquerda perdida, Temer... Fernando Canzian - Com a intervenção na segurança do Rio e o...
18/02/2018 - O risco da intervenção no Rio de Janeiro - Jorge Serrão - Não é fácil prever os efeitos da inédita intervenção...
16/02/2018 - Varizes modernistas - Ruy Castro - Em 1980, eu conhecia bem Paris, Londres, Milão, morara...
16/02/2018 - O incrível Huck loucura, loucura... - Sérgio Serrão - Luciano Huck voltou a desistir, finalmente, da insana disputa...
15/02/2018 - Vamos falar de Fernando Henrique? - Marcelo Coelho - O autoritarismo e a arrogância têm muitos disfarces. Conheço...
14/02/2018 - Qual é a melhor idade? - Ruy Castro - Melhor idade é a puta que te pariu –...
14/02/2018 - O risco do ilusionismo eleitoreiro - Jorge Serrão - As eleições se repetem como farsa no Brasil. Não...
09/02/2018 - "Putos" novo-velho nome para o PT - Jorge Serrão - Pouco importa se o ex-supremo ministro Sepúlveda Pertence recebeu...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca