Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca

O que você espera de 2017?

 
ver todos os resultados
 
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 18 de novembro de 2017  


06/11/2017
Perdoa-me por me traíres - Bernardo Mello Franco

"Estou perdoando os golpistas deste país." O anúncio de Lula, na última segunda-feira, foi muito mais que uma frase de efeito. O ex-presidente deu a senha para que o PT volte a se aliar com partidos que apoiaram o impeachment.

A dança do acasalamento inclui até o PMDB de Michel Temer. Lula já havia selado as pazes com Renan Calheiros. Agora avança em acertos com peemedebistas que continuam agarrados ao governo, como o presidente do Senado, Eunício Oliveira.

Separados pelo impeachment, PT e PMDB já ensaiam se unir em ao menos seis Estados. É a retomada de um casamento de interesses, rompido com brigas e acusações de traição. Os petistas se diziam apunhalados pelos ex-parceiros, que romperam o matrimônio para ficar com todos os bens, inclusive o palácio.

Com o "perdão" de Lula, todos ficam liberados para flertar novamente. O PT pisca para os oligarcas, que controlam máquinas municipais e estaduais. Os peemedebistas retribuem, ansiosos para faturar a popularidade do ex-presidente.

O dote da união é o novo fundo partidário. Somadas, as duas legendas comerão um quarto do bolo de recursos públicos. Além disso, PT e PMDB continuarão a ter as maiores fatias da propaganda na TV.

Pragmático, Lula constatou que o discurso do golpe não dá voto. Nas eleições municipais de 2016, o petismo perdeu cerca de 60% de suas prefeituras. Encolheu no Nordeste, foi dizimado no ABC paulista e só venceu em uma capital, a do Acre.

Isso ajuda a explicar a aposta na reconciliação, mesmo que seja preciso esquecer o que aconteceu no verão passado. "Está em curso a tradição brasileira da recomposição pelo alto", constata o deputado Chico Alencar, do PSOL.

A próxima tarefa de Lula é amaciar a militância de esquerda que foi às ruas em defesa de Dilma Rousseff. Mas isso ele já fez outras vezes, quando se uniu a inimigos históricos como Fernando Collor e José Sarney.

 




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



17/11/2017 - O Rio capturado pelo crime - Bernardo Mello Franco - No filme "Tropa de Elite 2", o personagem Coronel...
13/11/2017 - A volta da Disneylula - Guilherme Fiuza - Finalmente as coisas estão voltando ao normal no Brasil....
13/11/2017 - Quem são os reais escravistas no Brasil - Sérgio Alves de Oliveira - Há poucos dias escrevi sobre a “queixa” da Ministra...
13/11/2017 - A classe operária no Socialismo Real - Carlos I.S. Azambuja - É compreensível que os regimes totalitários etiquetados de socialistas tenham um...
12/11/2017 - Geraldo, um brasileiro do andar de baixo... Elio Gasapri - Geraldo Casalli tem 53 anos, é motorista da Viação...
12/11/2017 - É preciso cantar - Marcius Melhem - No meio dessa polarização política e do debate acalorado...
11/11/2017 - Lembrai-vos de 1939...as ditaduras se reinventam... Jorge Serrão - A seção “ACERVO”, do jornal O Globo, faz hoje uma...
06/11/2017 - Luislinda virou marca do ridículo... Elio Gaspari - Luislinda Valois deveria ter sido demitida do cargo de...
06/11/2017 - Fome à vista - Ruy Castro - De repente, até mesmo em regiões onde certas culturas...
04/11/2017 - Meireles daria um substituto à altura de Lula? - Jorge Serrão - Fala sério, mas muito sério... Você aceitaria cometer o...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca