Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 23 de maio de 2018  


14/06/2017
Crimes da mala - Ruy Castro

Em 1928, em São Paulo, um imigrante italiano, Giuseppe Pistone, estrangulou sua mulher Maria Mercedes, que o denunciara como trambiqueiro. O que fazer com o cadáver? Pistone serrou-o pelas pernas, espremeu-o numa mala e despachou-o para um destinatário inexistente em Bordeaux, França. Ao ser içada a bordo do navio Massilia, em Santos, a mala abriu acidentalmente e revelou-se o seu conteúdo. Pistone foi preso e condenado a 31 anos. Cumpriu 13, saiu e até se casou de novo.

O caso passou à história como "o crime da mala", embora não fosse o primeiro nem o último com esse nome. Há cinco anos, também em São Paulo, uma mulher matou a tiros o marido, executivo de uma grande empresa fabricante de pipoca. Experiente em enfermagem, ela o esquartejou e o distribuiu por três malas com rodinha, que enfiou no carro e levou até Cotia para se desfazer. Foi apanhada e presa. E este também não será o último caso do gênero.

Um novo tipo de crime da mala está em curso no Brasil. Consiste em esquartejar os escrúpulos e rechear malas, não com o que restou deles, mas com dinheiro ilícito. O caso mais flagrante é o do ex-deputado Rodrigo Loures, destacado pelo presidente Temer como seu "homem de confiança" para se entender com os amigos da JBS —e, dali a dias, filmado ao receber uma mala numa pizzaria e, assustado, tomar um táxi com ela no colo. A mala continha R$ 500 mil em espécie e soube-se depois que ele a escondeu na casa da mãe.

Na sequência, Fred Pacheco de Medeiros, operador e primo do senador Aécio Neves, também foi filmado acomodando em malas R$ 500 mil da mesma e generosa JBS. E, antes deles, o notório ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto era tão useiro em rechear mochilas com dinheiro que seu apelido era "Mocha".

Em todas essas malas e mochilas, vai, aos pedaços, o cadáver do Brasil. Encamihado por Carlos SA.

 




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



23/05/2018 - É preciso compromisso com o combate as regalias - Renato Feder e Renato Dias - Viver em uma democracia demanda um custo para as...
23/05/2018 - Só informação não bastas - Helio Schwarstman - Merece apoio a iniciativa da Anvisa de melhorar a rotulagem...
23/05/2018 - O truque da bola gelada - Ruy Castro - O francês Michel Platini, ex-craque e cartola acusado de...
21/05/2018 - Num outro mundo... - Helio Schwarstman - Na carta que enviou à presidente do PT, Lula cravou: “Se...
21/05/2018 - Ciro está jogando como profissional - Celso Rocha de Barros - Até o momento, nenhum candidato nas eleições presidenciais de...
21/05/2018 - Novos estilos de esperneio - Ruy Castro - Na quarta-feira (16), falei aqui do jus esperneandi, o direito que...
17/05/2018 - Desafios do Plano Cultural - Rubens Shirassu Júnior* - Como organizar, preservar a memória e monitorar ou uso...
17/05/2018 - Maio de 68, a revolução que deu certo - Contardo Calligaris - Hoje é 17 de maio. Foi quando a greve...
16/05/2018 - Cegueira moral - Mário Sérgio de Melo - Em seu instigante livro Ensaio sobre a cegueira, o premiado...
16/05/2018 - A sacralidade da farda Helio Schwartsman - Não sou de ficar chocado facilmente, mas devo admitir...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca