Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 23 de maio de 2019  


30/03/2019
Liberdade é não ter que trabalhar - Mário Sérgio Conti

Num país longínquo, uma farsa burlesca sobre o estado da luta de classes  Cracolândia no centro de Favelândia. Gente e pizzas jogadas no chão. Pessoas perfumadas, com estolas de pele, saem de um concerto de harpas.

 Antes de embarcar em blindados ou liteiras, falam à plateia.

Sandy: Toda história até hoje é a história da luta de classes.

Junior: Senhores e escravos, patrícios e plebeus, nobres e servos, burgueses e trabalhadores —opressores e oprimidos viveram em conflito.

Leandro: Como os antagonismos foram simplificados ao máximo, a oposição se dá agora entre duas classes irreconciliáveis.

Leonardo: Traficantes e drogados?

Marx: Facebook e Google contra o resto?

Engels: A Ambev versus cervejeiros de todos os países?

Sergio Moro: PCC, PT e Comando Vermelho contra pessoas de bem?

Marcola: Esqueceu-se das milícias e do baixo clero, urubu malandro?

Carluxo despeja a metralhadora na plateia e urra: É nóis!

FHC: Não é nada disso, gente de maus bofes (à parte: mas melhor que os lamentáveis lulopetistas). A contradição determinante se dá entre os que pedem e os que entregam pizza, os motoboys.

Paulo Guedes: O augusto príncipe dos sociólogos louva nossa utopia —a sociedade desregulada na qual uns levam e outros comem pizza. Graças à nova Previdência, os motoempreendedores irão ralar até caírem mortos no asfalto —jovens, para não onerarem o Estado micro.

Max Horkheimer: O jovem trabalhador na sua moto tolera o trabalho porque curte a barulheira do escapamento. Está na fase anal.

Theodor W. Adorno: Não se pode misturar prazer e trabalho. A felicidade subjetiva é, até ela, ideologia.

Horkheimer: Liberdade é não ter que trabalhar. A sociedade harmônica que acaba em pizza é uma utopia brasileira.

Adorno: O Brasil é louco e racional ao mesmo tempo. É inimaginável um país no qual a exploração é intensificada até a insanidade sem que surjam forças objetivas de contestação.

Caminhoneiros, vestindo coletes amarelos, precedidos por motoboys, cruzam o palco e berram: É nóis! É nóis! É nóis!

Walter Benjamin: A ideia de que a sociedade possa ser diferente do que é ocorre apenas aos humanos. Mas os brasileiros pertencem à espécie?

Marcuse: A bozo-burguesia desenvolvimentista criou o iFood, o PFL e o Rappi para extorquir mais-mais-valia do mercado motoboy.

Adorno: A liberdade não é a liberdade de acumular. A liberdade só existe onde já não há necessidade de acumular.

Ministra Damares, num tomara-que-caia rosa-choque: É preciso negar o conhecimento e abrir espaço para a fé.

José Arthur Giannotti, de fraque azul-cerúleo: Quem disse isso, antes da ministra, foi Kant. É por essas e outras que a balbúrdia Bolsonaro contribui para o avanço do capitalismo bestial —e do Brasil idem.

Olavo de Carvalho, babando: Eu sou o Quincas Borba da nova era! O Brás Cubas do apocalipse! Carlos Lacerda redivivo! Paulo Francis cuspido e escarrado! O narrador machadiano reloaded: manhoso, cruel, boçal!

Edir Macedo, de turbante: Só Bolsonaro é grande, e Olavo é seu profeta.

Onyx Lorenzoni, nu numa banheira vermelho-rubi: Um bom banho de sangue comunista nos limpará de 
quaisquer pruridos.

Isaac Babel: O anticomunismo é o iluminismo dos idiotas.

Bolsonaro, agitando uma bandeira da Tradição, Família e Propriedade: O Brasil se preparou durante cinco séculos para minha Presidência. Botarei nossas histéricas tradições em ordem.

Hamilton Mourão, fantasiado de Bonaparte: Heróis matam, vide Ustra.

General Augusto Heleno, fantasiado de Mourão, sentado numa pilha de carniça haitiana: O bonapartismo anuncia a boa nova do fascismo.

Mourão: Os brasileiros esquecem. A cada nova geração é preciso dar-lhes choques nos genitais e arrancar suas unhas com alicate. Para que aprendam a se comportar. Para que trabalhem e sejam felizes.

Fantasiada de Ustra, Michelle fala ao celular, em libras: Uma meia mozarela, meia calabresa.

Marcela: É pra já, madame.

Ela põe a pizza e R$ 500 mil na mala de um motoqueiro, que acelera e empina a máquina: Motoboys de todos os países, uni-vos!

De toga, como Nero, e dedilhando uma Kalashnikov, Bolsonaro toma a pizza e a mala do motoboy: Depois de mim, o dilúvio!

Um golden shower tsunâmico cai sobre a plateia.

Pano rápido.Encminhado por Carlos SA.




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



21/05/2019 - Base legal da COMDEMA - Professor José Leitão - Base legal da COMDEMAA constituição da Comissão de Defesa...
06/05/2019 - Canudos e plásticos deverão ser trocados em 18 meses - O Governo do Distrito Federal (GDF) sancionou, nesta segunda-feira...
29/04/2019 - Filmes gratuitos no Planetário de Brasília neste feriado - O brasiliense que já está fazendo planos para o...
13/04/2019 - O caso Danilo Gentilli - Luis Francisco Carvalho Filho - Não li e não gostei. A sentença que condena Danilo...
09/04/2019 - Premio Olhar Brasília de Fotografia - O Prêmio Olhar Brasília de Fotografia, promovido pelo site http://www.olharbrasilia.com e...
08/04/2019 - Por que têm tanto medo de Lula livre? - Luiz Inácio Lula da Silva - Faz um ano que estou preso injustamente, acusado e condenado por...
22/03/2019 - Cultura liquida das aparências - Ruben Shirassu Júnior* - Alguns acontecimentos da segunda metade do século XX, como...
21/03/2019 - Preso ex-presidente Michel Temer - A Força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro...
15/03/2019 - Cadastro Único - Quase metade dos moradores do Distrito Federal que recebem...
25/02/2019 - Universidade de Brasilia Campo Sonoro - A Diretoria de Organizações Comunitárias, Cultura e Arte (Docca/DAC)...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca