Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 21 de abril de 2019  


08/02/2019
A guerra dos canudos

O Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sindhobar-DF) entrará com uma ação liminar na Justiça pedindo a sua suspensão da Lei 6.266/2019, que proíbe o uso de canudos e copos plásticos em estabelecimentos comerciais em todo o Distrito Federal. A entidade avalia a legislação como irresponsável.

A norma, de autoria do ex-deputado distrital Cristiano Araújo (PSD), tramitava desde 2016 na Câmara Legistiva (CLDF) e, após aprovada em 2018, foi sancionada pelo governador Ibaneis Rocha em 30 de janeiro. A publicação no Diário Oficial do DF ocorreu na quinta-feira (7/2), estabelecendo efeito imediato e prevendo multa de até R$ 5 mil para os estabelecimentos que descumprirem a regra.

O presidente do Sindhobar-DF, Jael Antônio da Silva, afirma que, "mais uma vez", o setor produtivo é prejudicado por leis que não são discutidas com a categoria. “Ninguém foi convocado para discutir o assunto. É uma lei aprovada sem estudo, sem examinar nada, não tem regulamentação. Também não informa quem fiscalizará, não dá tempo para os empresários se adequarem, ou até mesmo acabarem com os estoques ou procurar alternativa", argumenta Silva.

Prazo de adaptação 

Inicialmente, o projeto de lei proposto por Araújo previa um prazo de 90 dias para que o comércio se adequasse. Entretanto, o governador vetou o artigo correspondente, fazendo com que a lei tenha efeito imediato. 

Para o presidente do Sindhobar-DF, a lei trará um prejuízo enorme para o setor. “Existem estabelecimentos enormes que fazem um investimento grande em estoque de copo, canudo, embalagem. Com a norma, eles vão fazer o quê? Jogar fora o investimento?”, questiona. Jael Silva ressalta que não é contra a lei, mas sim contra a forma como ela foi feita. "É lamentável", completou. Com informações da Fecomércio-DF




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



13/04/2019 - O caso Danilo Gentilli - Luis Francisco Carvalho Filho - Não li e não gostei. A sentença que condena Danilo...
09/04/2019 - Premio Olhar Brasília de Fotografia - O Prêmio Olhar Brasília de Fotografia, promovido pelo site http://www.olharbrasilia.com e...
08/04/2019 - Por que têm tanto medo de Lula livre? - Luiz Inácio Lula da Silva - Faz um ano que estou preso injustamente, acusado e condenado por...
30/03/2019 - Liberdade é não ter que trabalhar - Mário Sérgio Conti - Num país longínquo, uma farsa burlesca sobre o estado...
22/03/2019 - Cultura liquida das aparências - Ruben Shirassu Júnior* - Alguns acontecimentos da segunda metade do século XX, como...
21/03/2019 - Preso ex-presidente Michel Temer - A Força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro...
15/03/2019 - Cadastro Único - Quase metade dos moradores do Distrito Federal que recebem...
25/02/2019 - Universidade de Brasilia Campo Sonoro - A Diretoria de Organizações Comunitárias, Cultura e Arte (Docca/DAC)...
23/02/2019 - Integrantes da Operação Dracon da CLDF agora são réus... - CB PODER - A 7ª Vara de Fazenda Pública do Distrito Federal...
22/02/2019 - Os fantasmas que podem derrubar Bolsonaro - Juan Arias, El País - Começam a se perguntar no exterior quem manda no...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca