Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 23 de maio de 2018  


19/04/2017
Humildes bagres brasileiros - Ruy Castro

Em 2007, o então presidente Lula foi chamado a um canto por seu parceiro Emílio Odebrecht, que se queixou de que o Ibama estava dificultando a concessão de licença ambiental para a construção da usina hidrelétrica de Santo Antônio, em Rondônia. O Ibama alegava que as enchentes, os desbarrancamentos e o cimento despejado no rio Madeira, equivalente à construção de 40 Maracanãs, poriam em risco os bagres do rio. Emílio Odebrecht disse a Lula: "O Brasil precisando de energia e vai ser paralisado pelo bagre? O senhor precisa tomar uma decisão!".

Lula entendeu a ordem e assumiu o discurso de Odebrecht, até nas menores inflexões. Pela posição de Lula a favor da usina e contra o bagre, a então ministra do Ambiente Marina Silva começou ela própria a desbarrancar e acabou saindo. Depois de muitos estudos e concessões dos dois lados, o Ibama concedeu a licença. A construção da hidrelétrica foi completada em fins de 2016, ao custo de R$ 20 bilhões e, calcula-se, R$ 80 milhões em propinas para muita gente boa. Já o bagre está pagando para ver.

Apesar de sua importância para a população ribeirinha e o equilíbrio dos rios e igarapés da região, o bagre não tem prestígio político. Quando se trata de discutir os grandes problemas da Amazônia, seus colegas, o tambaqui e o tucunaré, têm lugar de destaque à mesa de reuniões da elite. O pirarucu, então, nem se fala —espalha os seus 200 kg numa poltrona na primeira fila. Ao bagre resta a companhia da piranha, outra marginalizada, no fundo da assembleia.

Mas o preocupante na história é o que, graças às delações em curso, estamos sabendo agora —que Emílio Odebrecht só faltava dar ordens a Lula em questões de interesse nacional.

Se as piores previsões se confirmarem, quem vai pagar pelo extermínio de milhões de humildes bagres brasileiros? Encaminhado por Carlos SA.

 




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



10/05/2018 - A bomba de verdade é Donald Trump - Clovis Rossi - O que mais assusta na decisão de Donald Trump...
10/05/2018 - A baixa na alta - Janio de Freitas - O comentário sobre a desistência de Joaquim Barbosa cabe em uma...
23/03/2018 - O Facebook e a revolta dos produtos - Roberto Dias - “Move fast and break things”, eis o motto que agigantou o Facebook. A empresa seguiu-o...
21/03/2018 - SOS Mata Atlântica - A Fundação SOS Mata Atlântica convida para a mesa...
21/03/2018 - 8º Fórum Mundial da Água. Violações do Brasil ao direito à água - O Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), a Artigo 19,...
27/01/2018 - Uma nova geração de magistrados pede passagem - Espantado com o julgamento do TRF-4 na data de...
25/01/2018 - Créditos do Nota Legal até 31 - Os consumidores cadastrados no Nota Legal têm uma semana (até 31...
23/01/2018 - Seta e celular os preferidos do DRONE - Em um mês de testes com dois drones, o...
05/12/2017 - Generais preocupados com a insegurança - Jorge Serrão - Desde a  manhã desta segunda-feira até quinta-feira o dia todo,...
27/11/2017 - O PMDB que expulsou... - Elio Gaspari - Por unanimidade, o Conselho de Ética do PMDB decidiu...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca