Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 17 de novembro de 2018  


10/11/2018
Caminhar, o livro, o poeta - José Ahyton da Silva

  Tarcísio Pádua é esta personagem que além de poeta é esta lenda viva, da nossa querida Sobradinho. Todo aquele que tem o privilégio de conhecê-lo, não há dúvida, é amor a primeira vista. Lendo sua obra poética: Caminhar, deparamo-nos com algo objetivo  e concreto, vindo ao encontro do sentimento tão ausente nos nossos dias, essa relação tão necessária nos dias atuais e também importantíssima nas nossas vidas. A mensagem da obra poética "Caminhar", trouxe para nós leitores dessa obra a oportunidade para nos deliciar, mas não apenas isso, a linguagem coloquial utilizada pelo autor leva-nos a compreender a sua dimensão do cotidiano, leva-nos a todos, notadamente aqueles moradores da nossa venerada Sobradinho, a fazer a leitura do dia-a-dia, sobretudo, dessa gente da cid ade serrana. Ao ler os poemas Camnhar de Tarcísio Pádua a gente se envolve de tal modo, que não há como não reconhecer no poeta, através do seu sentimento "caipira", mas sobretudo, um profundo sentido da vida. Há como que no seu falar amoroso o sentimento e a busca de valores humanos tão necessários para uma convivência respeitosa e amável; o que, lamentavelmente, tem se esvaído no chamado "Mundo Moderno".
        Tarcísio Pádua traz por sua obra poética um convite a retomada deste contato fraterno, fazendo a nós leitores um chamado pedagógico para leitura do seu livro Caminhar, pois não há dúvida, todos aqueles que experimentarem abrir o seu livro estarão tendo a experiência de uma obra cujo deleite encantará a todos.
        Os poemas da obra de Tarcísio Pádua retratam o sentimento de todo e qualquer ser humano. Acham-se presentes na fala do poeta: o amor, sobretudo; a amizade, o prazer. Há o erótico, o devaneio e tantos outros. Tarcísio Pádua faz do amor a universalidade de seus poemas, o que enobrece e justifica o sentido do seu conteúdo, indo ao encontro de todo leitor atento e voltado para os valores humanos.     

                                                           
                                                          Prof. José Ahyrton da Silva




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



06/11/2018 - A pergunta que não quer calar - Carlos SA - “Não tenho medo da morte, mas medo de morrer...
02/11/2018 - Achados e perdidos - Por Jacob Fortes - Procura-se uma escola que desapareceu numa aldeia chamada BRASIL;...
30/10/2018 - "Eu me basto - Por Jacob Fortes - Na literatura de administração há um singular “estudo de...
26/10/2018 - Sinceridade Lastimável - Por Jacob Fortes - A franqueza em linha reta é mais proveitosa que...
17/10/2018 - À Comunidade - Prof. José Ahyrton da Silva -    Olá caríssimos professores da nossa querida Sobradinho, quero...
09/10/2018 - Cansei! - Por Jacob Fortes - Enquanto os cientistas políticos se detêm e se enfadam...
01/10/2018 - Eu quero papai - Por Jacob Fortes - “Pelo voto a gente escolhe, de maneira definitiva e...
15/09/2018 - O silêncio da Flauta - Por Jacob Fortes - Quando uma vida demite-se da terra para subir a...
13/09/2018 - Advogado de defesa de religiosos manda promotor calar a boca - A segunda audiência dos réus acusados de desviar mais...
12/09/2018 - Dom Ronaldo renuncia ao cargo de bispo de Formosa - Investigado por participar de esquema criminoso de desvio de...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca