Busca:
   Acontece
   Artigos
   Condomínios
   Entrevistas
   Fazendo Arte
   Galeria
   Gente
   Opinião
   Promoções
   Sobradinho
   Sobradinho II
   Úteis
   Vale a pena acessar
   Esporte
   Sobradinho 48
   Planaltina
   Paranoá
   cobertura
Busca

O que você espera de 2017?

 
ver todos os resultados
 
Busca
Receba em seu e-mail as atualizações de nosso blog
Nome
E-mail
cadastrar desativar
 
  Regras do Blog | Perfil do tpadua 25 de junho de 2017  


26/05/2017
Povo que não sonha se liquida - Jacob Fortes

Jacob Fortes de Carvalho - de Sobradinho.

Não é apenas o provimento de bucho que sustenta um povo, mas também os sonhos. Tire os sonhos de um povo e o verá apagado, sem ânimo, abatido, fechado em si, emurchecido.

Não é de data moderna o sentimento de pesar dos brasileiros por se acharem impedidos de sonhar. O pesar surge sob a forma de doença. Essa doença, síndrome do confisco de sonhos, fora engendrada pelos corruptos. Os sonhos, pelo seu papel singular, são, por assim dizer, o estímulo, os estribos invisíveis do povo. Por mais que não se possa tocar nos sonhos eles são a entidade em que todos confiam para segredar propósitos, aspirações. São os sonhos que minimizam a crua realidade dos percalços; fazem o povo crer ser possível obrar feitos. Sem eles, no entanto, o povo chega a descrer de si mesmo. No dizer do poeta, “os sonhos são igualmente os brotos: vão rebentando e se abrindo em floradas”. Assim como a água da rega alegra as verduras, o povo carece dos borrifos de sonhos para não perder o viço, não emurchecer.

Há decênios os corruptos não fazem outra coisa senão privar os brasileiros dos seus sonhos. Essa prática abominável de confisco enseja alguns mínimos questionamentos: por que será que esses honoráveis patifes, de paletó e gravata, preferem que suas memórias à posteridade contenham o timbre da canalhice, das malfeitorias? Será que no íntimo das consciências dessa chusma de salteadores não há um pugilo de remorso pelas impiedades que cometem contra os brasileiros e o Brasil? Que escarmento merecem esses solenizados calhordas por se haverem na continuada prática de despojar esses bens tão preciosos, os sonhos? Será que as súplicas dos brasileiros contra a ação nociva dessa irmandade biltre têm sido insuficiente, de pouco fervor? Que oração, em nível de recurso, se pode evocar para fazê-los emendar-se; demovê-los do nefando vício de expropriar os sonhos do povo? Compulsando o catálogo dos rogos sugiro que comecemos pelo miserere, (salmo 51, da Bíblia), indicado para fazer aflorar a piedade alheia. Não surtindo o efeito desejado, e levando em conta não existir no Brasil o suplício capital, (e o fato de que as penas de reclusão lhes parecem água benta e os presídios escritórios para recalcitrar no crime) sobrerresta propor a criação de medida de espessura; aditar as leis penais, (hoje, brandas, românticas), de modo a que surjam normas de dentes afiados, mais imperativas, austeras, que cominem penas de maior acrimoniosidade.

Tivesse o Brasil severidade contra saqueadores, lesas-pátrias, não estaria claudicando nessa aridez, mas em radiante prosperidade, com seu terreiro limpo, desinfetado e, é claro, um gabinete dentário em cada esquina, além de metrôs de fazer a inveja sofrer.

Até quando essa malta lançará ao rosto do Brasil e de sua gente essa afronta? Até quando o povo gemerá debaixo de pedágio, escorchante, que sustenta o apetite de esponja dos ladravazes do Brasil? É perpétua a validade do alvará que permite a essa confraria de morcegos — uns anafados, outros de papadas pletóricas — vexar sadicamente o povo tal qual o gato faz o rato padecer?

Sentir-me-ei regiamente gratificado se tudo que deixei dito neste texto chegar às famílias dos corruptos, nomeadamente às suas mães; que não os tiveram para o crime.

Os sonhos nos põem para além das nossas dimensões”.




« voltar  |  Enviar este conteúdo  |  Imprimir este conteúdo  |  Comentar esse conteúdo  |  



SEM COMENTÁRIOS



23/06/2017 - "ladrões de bicicleta" - Jacob Fortes - Dentre os papeis admitidos à bicicleta, o de maior...
20/06/2017 - As boas do Cicim - Cícero Ferreira Filisteu - SEMANA QUENTÍSSIMAQuer pelas fogueiras a São João – o...
16/06/2017 - As boas do Cicim - Cícero Ferreira Filisteu - SEMELHANTE / IGUALDADEA filosofia explica muito bem o que...
14/06/2017 - As boas do Cicim - Cícero Ferreira Filisteu - QUE DISGRAMA!O mineiro bem terra terra, sabe perfeitamente que...
11/06/2017 - O que falta para mudar o Brasil - Eurípedes Cardoso - 1) falta o povo querer enxergar a realidade, perceber...
09/06/2017 - Boiada sem ponteiro, sem berrante - Jacob Fortes - Assim como o ponteiro e o berrante estabilizam a...
05/06/2017 - As boas do Cicim - Cícero Ferreira Filisteu - FOGUEIRAS E AGONIASEstá-se no mês de Junho, que segundo...
24/05/2017 - SOS Ribeirão Sobradinho - "Se o rio Sobradinho fosse uma pessoa, o que...
19/05/2017 - A questão do Clube SESI/Sobradinho - 1. Vamos abrir a caixa preta do sistema S? Abs....
18/05/2017 - Para onde caminha o Clube SESI/SOBRADINHO - Tarcísio Pádua -                  ...
Destaques
Registros Históricos - Carlos I.S. Azambuja
São registros históricos que comprovam a veracidade do que dizemos quase que diariamente. Quem diz o contrário é ignorante, por não ter nascido naquela época e não haver estudado a História verdadeira (com agá maiúsculo), ou por ser mal intencionado mesmo, como...



Pólo de Cinema. O sonho não acabou, ainda - Pedro Lacerda*
Não é a primeira vez que alguém tenta acabar com o sonho do Pólo de Cinema e Vídeo Grande Otelo, localizado em nossa Sobradinho. Desta vez, nos parece que é o próprio governo que está pretendendo dar um fim...



Marcada para segunda-feira,4, Audiência Pública para tratar do Ribeirão Sobradinho
Está marcado para acontecer dia 4 de novembro, uma segunda-feira, Audiência Pública proposta pela Câmara Legislativa do Distrito Federal exclusiva para tratar do Ribeirão Sobradinho. O evento será às 15 horas na Casa do Ribeirão Q. 9 Área Especial, frente para...



Busca